segunda-feira, 18 de abril de 2016

Menina, mulher...Liberte-se!

Usa calcinha bege, amiga. Usa, sim.Usa crocs, camisa de candidato furada, vai ao mercado de bobs no cabelo, careca, descabelada, vai trabalhar sem maquiagem. Deixa a unha sem esmalte ou descascando, tá de boas ir à festa sem tirar sobrancelha também e beleza se você não quiser se depilar. Só hoje, esse mês ou nunca mais. Quem sabe é você. O gatinho quer fazer a linha hippie, usar barbão, usar coque, viver das coisas que a natureza dá pra gente? Então ele super pode chupar a Floresta Amazônica. Se não deu tempo, vá amarrotada mesmo; se machuca, foda-se o salto; se os cabelos brancos estão surgindo, deixa a vida contar a poesia do tempo pra quem nos obriga a ser de plástico e jamais envelhecer. Mas só se você quiser e quando quiser.
 Você ronca, você também pode roncar. E babar na fronha. Não tem que dormir bonito pra agradar quem nem liga no dia seguinte. Você não é enfeite da cama de ninguém. Coma o que quiser, sua saúde é sua, quem sente ou deixa de sentir como é melhor se alimentar é só você. Pode comer, pode engordar, pode emagrecer, pode ter celulite, estrias, você pode qualquer coisa, entendeu? Qualquer coisa.
Pode beber, pode fumar, pode virar noites em claro, pode ir a toda parte, pode fazer tatuagens até perder a conta. Pode ter marcas da maternidade à vontade, você colocou um ser humano no mundo. Você foi Deusa. Pode rir alto, falar alto, brigar, arrotar. Você peida. Você caga. Você gasta energia e fica toda suada. Você tem o direito de adoecer e fazer repouso. Tem o direito de chorar, de reclamar, de sentir tesão e só tesão. Você pode voltar do futebol fedendo. Você pode ficar com mau hálito depois de tomar todas. Você pode tirar fotos com amigas disputando qual barriga é maior e nenhuma delas estar grávida. Você pode ficar o dia inteiro no bar sem se preocupar com a louça. Você pode deixar o cara se virar pra entender o que a criança quer, pode dormir mais um pouco, pode não cozinhar.
 Você pode andar de skate, tocar bateria, não dar satisfações, dizer que não quer sem explicar o porquê, nunca ser mãe, amar todas as mulheres que quiser. Você pode descobrir a qualquer momento que o que você gosta de fazer nunca te foi permitido. Vá lá e faça. Se dê esse presente. Você podia ter brincado com qualquer brinquedo, qualquer um. Vamos contar às meninas que elas podem, pra que entendam que o mundo é delas. Ainda que essa lista de permissões não baste pra que a gente se permita. Mas vamos lá, vamos contar que elas podem fazer tudo, absolutamente tudo o que quiserem nessa vida. Porque a vida é uma só.

Autor desconhecido.